Show do Pintor Profissional - Edição 180

Show do Pintor Profissional - Edição 180

SHOW DO PINTOR • DEZEMBRO 17 10 ORGANIZAÇÃO DE OBRAS Pintura, sujeira e bagunça não precisam e não devem estar atreladas. É possível fazer pin- turas de grande ou pequena escala sem que o ambiente fique caótico em decorrência da obra. Sujeira é inevitável, vai acontecer, mas os resquícios de obra não precisam cair sobre os móveis, sujando e até mesmo danificando o mobiliário. Para modificar o ambiente sem estresse é preciso que o profissional planeje a obra antes, protegendo o imóvel do cliente. No mercado, há inúmeras soluções para que o profissional tenha esse cuidado: protetores de piso, janelas e portas, além de fitas adesivas indicadas para mascaramento imobiliário. O arquiteto Felipe Luciano, do Estudio+FCK, está no mercado há mais de 10 anos e conta que já viu grandes desastres acontecerem devido à falta de proteção, e conta o mais marcante: “A proprietária estava preparando uma obra grande e começou aplicando o piso de madei- ra. No decorrer da obra, não protegeu a su- perfície. O construtor não cobriu o piso e ela achou que, limpando o ambiente, os resquí- cios iriam sair. A sujeira de obra é pesada, im- pregna, e os grãos de massa corrida e cimento riscam a superfície, não sujam somente. No final, ela arcou com a despesa de tentar salvar o piso, contratou uma empresa especializada em limpeza, o que não resolveu 100%. Apesar de o piso ser novo, ficou esbranquiçado, com aspecto de velho, sem conserto.” Mesmo a área sendo protegida, alguns res- quícios de tinta podem surgir, em pequenas quantidades, e podem ser removidos com produto de limpeza pós-obra indicado para a finalidade, nunca com thinner ou produto cor- rosivo, pois danificam de maneira definitiva a superfície. “As tintas à base de água são re- movidas com facilidade, mas de base solvente exigem mais cuidado, mas jamais utilize thinner para extraí- -las. O produto é corrosivo e vai danificar o piso, tira o verniz do piso de madeira.” AGREGANDO VALOR COM A LIMPEZA A limpeza pós-obra faz parte da entrega do produ- to final. Essa entrega é essencial para que o cliente consiga analisar e avaliar o trabalho prestado. Uma obra entregue sem limpeza omite todo o trabalho e dedicação realizados pelos profissionais. A limpeza pós-obra é o toque final para o prestador de serviço deixar que apenas o seu trabalho seja reconhecido, e não os resíduos pós-obra. Quando o assunto é limpeza, há vários mitos de misturas caseiras que fazem “milagres”, mas cuidado, pois elas podem comprometer o resultado final de um trabalho. Procedimentos e misturas caseiras não têm garantia e podem causar estragos, como manchas ou reações contrárias ao esperado. Aline Rodrigues, responsável pelo marke- ting da Piso Clean, comenta quais são os problemas mais comuns que ocorrem no improviso de limpeza pós-obra: “Perda de brilho, suscetibilidade à sujei- ra e aspereza na superfície são as principais avarias feitas por quem utiliza misturas caseiras.” A limpeza pós-obra é uma situação comum a todas as cons- truções, independentemente da maneira como foi realizada a obra e dos materiais utilizados. Rodolfo Capelato, responsável pelo marketing da Duratto, acredita que essa é uma oportunidade de renda extra ao profissional. “Todo construtor terá que en- frentar esta etapa. Para tanto, acaba por contratar PINTURA SEM ESTRESSE MASCARAMENTO DAS ÁREAS E LIMPEZA TAMBÉM FAZEM PARTE DA OBRA. O PINTOR, COM ESSES CUIDADOS, EVITA PREJUÍZOS E DESENTENDIMENTOS COM O CLIENTE “A sujeira de obra é pesada, impregna, e os grãos de massa corrida e cimento riscam a superfície, não sujam somente.” “As tintas à base de água são removidas com facilidade, mas de base solvente exigem mais cuidado, mas jamais utilize thinner para extraí-las. O produto é corrosivo e vai danificar o piso, tira o verniz do piso de madeira.”

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=