Wana Química

PPG anuncia resultados financeiros do segundo trimestre de 2019

06/08/2019 - 17:08

A PPG anunciou que as vendas líquidas no segundo trimestre de 2019 atingiram cerca de US$ 4 bilhões, uma queda de aproximadamente 3% em relação ao ano anterior. As vendas líquidas em moedas constantes subiram cerca de 1% em relação ao ano anterior, impulsionadas por preços de venda de mais de 2%. No acumulado, o volume de vendas caiu aproximadamente 4% em relação ao ano anterior, decorrente de alterações de classificação de clientes de revestimentos arquitetônicos nos EUA anunciadas anteriormente. O câmbio desfavorável impactou as vendas líquidas em mais de 3%, ou cerca de US$ 130 milhões, e as vendas relacionadas a aquisições, após dedução dos desinvestimentos, diminuíram em 2% o crescimento das vendas.

No segundo trimestre de 2019, o lucro líquido das operações contínuas foi de US$ 270 milhões, ou US$ 1,13 por ação diluída, e o lucro líquido ajustado das operações contínuas foi de US$ 441 milhões, ou US$ 1,85 por ação diluída. Os valores ajustados excluem os custos de reestruturação empresarial após impostos de US$ 133 milhões e outros ajustes totalizando US$ 38 milhões, ou 56 centavos e 16 centavos por ação diluída, respectivamente. O lucro líquido reportado do segundo trimestre de 2018 das operações contínuas foi de US$ 371 milhões, ou US$ 1,51 por ação diluída. Já o lucro líquido ajustado do segundo trimestre de 2018 das operações contínuas foi de US$ 468 milhões, ou US$ 1,90 por ação diluída. Para o segundo trimestre de 2019, a alíquota vigente reportada e ajustada foi cerca de 24% maior que a do segundo trimestre de 2018, que foi de aproximadamente 22%. As conciliações dos valores reportados para os números ajustados estão incluídas abaixo.

"Continuamos comprometidos em recuperar nossas margens operacionais e nesse trimestre alcançamos maiores lucros brutos e margens operacionais nos segmentos em relação ao ano anterior. Isso apesar da produção industrial global fraca que afetou todas as principais regiões e vários de nossos mercados de uso final, incluindo nossos segmentos gerais de revestimentos industriais e automotivos OEM", afirmou Michael H. McGarry, presidente e CEO da PPG. "Continuamos nos beneficiando de um crescimento sólido em vários de nossos segmentos, incluindo em revestimentos aeroespaciais, de proteção e marinhos".

"Conseguimos administrar o ambiente de negócios mais desafiador com preços de venda melhorados e gerenciamento de custos contínuo e forte", disse McGarry. "Refletindo o cenário econômico e para fortalecer ainda mais nossa posição de custos, anunciamos e começamos a implementar um novo programa de gerenciamento de custos no segundo trimestre, e esperamos obter US$ 125 milhões em economia com o programa após a conclusão. Além disso, estamos integrando rapidamente nossas recentes aquisições da SEM, Whitford e Hemmelrath, cada uma superando as expectativas iniciais."

"Conforme olhamos para o terceiro semestre, esperamos que a demanda da indústria em diversos de nossos segmentos continue lenta. Esperamos que o ímpeto de recuperação de nossas margens continue à medida que trabalhamos com nossos clientes e fornecedores para compensar ainda mais a inflação plurianual dos custos das matérias-primas que tivemos. Também continuaremos focados na gestão agressiva de nossos negócios, inclusive atingindo nossa meta de compensar totalmente o impacto dos ganhos das alterações de classificação de clientes de revestimentos arquitetônicos do ano anterior. Por fim, continuamos a ter uma forte flexibilidade financeira e continuaremos disciplinados em nossa implantação de caixa com foco na criação de valor para o acionista de longo prazo."

"Atualmente, esperamos que os lucros diluídos por ação do terceiro trimestre estejam na faixa de US$ 1,57 a US$ 1,67", acrescentou McGarry. "Reafirmamos nosso crescimento nos lucros ajustados diluídos por ação para o ano de 2019 entre 7% e 10%, e esperamos um crescimento nas vendas para o ano de uma porcentagem baixa, de um único dígito, ambos excluindo os impactos da conversão cambial."

Resultados Financeiros dos Segmentos Reportáveis do Segundo Trimestre de 2019

•          As vendas líquidas no segundo trimestre do segmento de Revestimentos de Performance foram de aproximadamente US$ 2,4 bilhões, uma redução de US$ 65 milhões, ou quase 3%, em relação ao ano anterior. As vendas em moeda constante aumentaram se mantiveram estáveis em relação ao trimestre anterior. As vendas relacionadas a aquisições foram de aproximadamente US$ 15 milhões, especialmente a aquisição da SEM. Os volumes do segmento foram inferiores em cerca de 3%, incluindo as alterações de classificação de clientes de revestimentos arquitetônicos do ano anterior, que reduziram as vendas do segmento em mais de 2%, ou cerca de US$ 60 milhões, em relação ao ano anterior. A conversão desfavorável em moeda estrangeira reduziu as vendas líquidas em cerca de US$ 70 milhões, ou quase 3%.

O volume de vendas de revestimentos aeroespaciais cresceu para uma porcentagem alta de um único dígito, chegando a uma porcentagem baixa de dois dígitos no primeiro semestre do ano. O crescimento continua todas as principais plataformas de tecnologia. O resultado de vendas orgânicas para revestimentos de repintura automotiva caiu uma porcentagem baixa de um único dígito devido à baixa nas atividades de reparo por colisões em 2019 e pela comparação com um volume forte de vendas no trimestre anterior. O volume agregado de vendas no negócio de revestimentos protetores e marítimos aumentou uma porcentagem alta de um único dígito, com contribuições positivas de ambos os segmentos. As vendas orgânicas anuais em revestimentos arquitetônicos - Américas e Ásia-Pacífico diminuíram uma porcentagem média de um único dígito, com diferenças por canal e região. Nos EUA e Canadá, as vendas na mesma loja de revestimentos arquitetônicos de propriedade da empresa foram relativamente estáveis, uma vez que o clima afetou a demanda. Os volumes de venda agregados ano-a-ano no varejo nacional (Faça Você Mesmo, DIY, em inglês) e nos canais de revenda independentes diminuíram significativamente, decorrente das alterações de classificação de clientes, que completaram o aniversário de um ano no final do segundo trimestre. As vendas orgânicas de revestimentos arquitetônicos nos mercados EMEA e América Latina subiram uma porcentagem baixa de um único dígito, impulsionadas por preços de venda mais altos.

O lucro do segmento para o segundo trimestre foi de US$ 425 milhões, queda de US$ 3 milhões, ou aproximadamente 1%, em relação ao ano anterior, incluindo cerca de US$ 10 milhões em câmbio desfavorável. O lucro do segmento foi beneficiado pelos melhores preços de venda, pelo gerenciamento contínuo de custos e pelas iniciativas de reestruturação, compensados pelo impacto do menor volume de vendas.

•          As vendas líquidas do segundo trimestre do segmento de Revestimentos Industriais foram de cerca de US$ 1,6 bilhão, uma queda de US$ 40 milhões, ou aproximadamente 2%, em relação ao período do ano anterior. Os preços de venda 2% mais altos e as vendas relacionadas a aquisições de aproximadamente 5% compensaram parcialmente os volumes de vendas cerca de 5% mais baixos. As vendas relacionadas a aquisições foram de aproximadamente US$ 75 milhões, impulsionadas pela aquisição da Whitford e da Hemmelrath. O câmbio desfavorável reduziu as vendas em cerca de US$ 60 milhões, ou aproximadamente 4%, em relação ao ano anterior.

O volume de vendas de revestimentos de fabricantes de equipamentos originais (OEM) diminuiu uma porcentagem alta de um único dígito ano a ano, consistente com as menores taxas de produção da indústria automotiva global, incluindo uma queda pronunciada na demanda na China e Europa. Os preços de venda para este segmento foram maiores em cada grande região. Para o segmento de revestimentos industriais, os volumes de venda reduziram na maioria dos principais subsegmentos em comparação ao ano anterior, refletindo a menor demanda de produção industrial global. As vendas orgânicas de revestimentos para embalagens diminuíram uma porcentagem baixa de um único dígito ano a ano, em comparação com o crescimento acima do mercado no ano anterior decorrente de conversões de clientes relacionadas à tecnologia.

O lucro do segmento no segundo trimestre foi de US$ 235 milhões, uma queda de US$ 12 milhões, ou cerca de 5% em relação ao mesmo período do ano anterior, incluindo os impactos desfavoráveis de câmbio de cerca de US$ 10 milhões. O lucro do segmento foi beneficiado pelos melhores preços de venda e pelo forte gerenciamento de custos, compensados parcialmente pelo impacto do menor volume de vendas.

Todos os segmentos da empresa continuam gerenciando os custos de forma agressiva e executando as iniciativas de economia de custos anteriormente anunciadas. Essas ações geraram aproximadamente US$ 20 milhões de economia no segundo trimestre, em linha com as metas da empresa. As despesas societárias no segundo trimestre foram de aproximadamente US$ 45 milhões e espera-se que sejam de US$ 45 a US$ 50 milhões no terceiro trimestre.

  Mais notícias