Estudo da BASF reforça a cor branca como preferida em tintas automotivas em 2019

27/01/2020 - 17:01

Observa-se nos automóveis pelas estradas interestaduais das Américas, Europa, ou na Ásia, que o branco é a cor que predomina mais do que qualquer outra. Esta análise é um dos principais resultados do BASF Color Report 2019 de Tintas Automotivas. Cerca de 39% de todos os veículos fabricados no mundo foram pintados de branco. Por trás destes números se esconde uma mudança interessante: mesmo que o branco seja a cor mais popular em todas as regiões, há diferenças notáveis sobre sua distribuição regional. Enquanto na Ásia-Pacífico quase um em cada dois veículos está pintado de branco, na América do Norte e na região que compreende a Europa, Oriente Médio e África (EMEA), apenas um em cada três carros está revestido com essa cor.

Outras três cores acromáticas (preto, cinza e prata) continuam populares. Juntas, essas cores revestem outros 39% dos veículos que saíram das montadoras em 2019. Essa tendência também afeta o segmento dos automóveis mais populares: os SUVs.

No entanto, o mundo não é apenas branco e preto. Dos novos veículos do mundo, 22% foram revestidos com cores cromáticas no ano passado. Aproximadamente 9% dos automóveis produzidos em nível global foram azuis e 7% foram pintados de vermelho. Em ambos os casos, entram em jogo motivações emocionais vinculadas com a propriedade do veículo e a individualidade. Os designers da BASF utilizam pigmentos exclusivos, efeitos e outras inovações para criar matizes intensos e brilhantes. 

Os automóveis do segmento B e outros veículos de pequeno porte têm mais probabilidade de oferecer uma explosão de cor. Além do azul e do vermelho, o marrom e o bege estão começando a emergir, especialmente na Europa, Oriente Médio e África.

América do Sul: branco e vermelho continuam sendo as cores favoritas

O branco continua sendo a cor favorita dos consumidores sul-americanos, abrangendo uma parcela de mercado de 39%. Essa tendência já é perceptível há vários anos. “Inicialmente vinculado com a tecnologia no começo da década de 2010, com o lançamento dos telefones móveis e outros dispositivos dessa cor, o branco reforça atualmente o aspecto de ‘cor ambiental’ relacionada com a limpeza e a pureza do ar e da água, bem como a conservação do meio-ambiente”, indica Marcos Fernandes, diretor do Negócio de Tintas Automotivas da BASF para a América do Sul. Outras cores acromáticas estão entre as preferidas dos consumidores: 23% deles escolhem o prata e, 14%, o cinza. A cor preta, que soma um total de 11% da parcela de mercado, não é tão popular na América do Sul, comparada com 16% que ocupa a proporção global.

Entre as cores cromáticas, o vermelho continua conquistando os corações dos sul-americanos, com 8% da fatia de mercado, seguido do azul e do bege. “O vermelho tem uma presença tradicional nas vendas. É uma cor vibrante, vinculada com a esportividade e a beleza, além de ser uma cor que mantém o seu valor na revenda”, comenta Fernandes.

América do Norte: o branco continua na vanguarda, mas com variações

Nas rodovias da América do Norte, as cores acromáticas continuam sendo as preferidas: branco, preto, prata e cinza revestem cerca de 75% do mercado, o que reflete as tendências globais. No entanto, a distribuição das cores é mais equilibrada do que nas referidas tendências, já que a cor mais popular, o branco, corresponde apenas a 29% da distribuição total. O mercado norte-americano também lidera a mudança de brancos quentes - com tonalidades amareladas - para brancos mais frios - com tonalidades azuladas e efeito branco perolado -, especialmente nos veículos elétricos e de luxo.

Além disso, a América do Norte é a região líder em nível global com relação à popularidade das caminhonetes ‘pick-up’. À medida que estas passam de ferramentas utilitárias a meios de transporte de luxo, a tendência evolui a cores que previamente apenas eram encontradas nos segmentos mais luxuoso, como os tons vivos e intensos de preto, junto com um grande número de caminhonetes de cor branca (38%) e uma fatia de mercado relativamente elevada de vermelho, com 11%. "Essas não são as caminhonetes do seu pai", disse Paul Czornij, responsável pelo Design Cores Automotivas da BASF na América do Norte. "São máquinas de luxo e estão adotando as cores que você vê na linguagem de design do mercado de luxo".

EMEA: branco em baixa, cinza em crescimento e a surpresa da cor bege

Com um percentual de 77%, as cores acromáticas continuam dominando o panorama nas rodovias da região EMEA, mesmo que a proporção de automóveis de cor branca - a mais popular de todas - tenha sido impactada com uma leve redução. Embora a popularidade da cor prata também esteja em declive, o cinza continua sua carreira de sucesso com uma fatia 20% do mercado. O segmento cromático aumenta levemente: quase um em cada quatro automóveis da Europa foi revestido de uma cor cromática. Neste segmento o azul continua liderando, com 11%. Esta cor também é líder com relação à diversidade de tonalidades, oferecendo um total de quase 160 matizes diferentes. Com uma quota de 2%, o bege emerge significativamente pela primeira vez: “A necessidade de superfícies mais suaves e acessíveis tem como resultado uma crescente popularidade dos espaços de cor bege, mesmo que estes devam ser modernos e atrativos para serem aceitos pelo consumidor final”, comenta Mark Gutjahr, responsável pelo Design de Cores Automotivas da BASF na Europa, Oriente Médio e África.

Os efeitos são um importante instrumento de design, já que ressaltam a forma de um veículo e oferecem um acabamento especial. Por esse motivo, o tratamento em profundidade das cores de efeito também faz parte da evolução. Especialmente as tintas escuras são frequentemente combinadas com pigmentos de efeito. As cores brancas dominam os sólidos. Além disso, a análise mostra uma elevada proporção de cores de efeito dentro da paleta de cores cromática.

Ásia-Pacífico: aumentam as cores individuais, mas o branco continua dominando

A maioria dos veículos na Ásia-Pacífico é acromática, com um percentual de cor que se mantém em 77%. Nessa região, quase um em cada dois automóveis continua sendo branco, com uma predominância de 49%, a maior de todas as regiões. O branco pérola é especialmente popular. Por outro lado, a cor preta continua pouco usada quando comparada com outras regiões, mas está sendo objeto de uma maior atenção como expressão esportiva e individual. Os diversos matizes, tonalidades e efeitos de cor cromática, são características da região Ásia-Pacífico. Entre as cores cromáticas, o azul ocupa a primeira posição, com um percentual de 7%, como se observa habitualmente nos veículos elétricos, seguido pelo vermelho, com 6%.

“O azul e o branco respaldam a imagem de designs limpos, puros e sustentáveis”, afirma Chiharu Matsuhara, responsável pelo negócio e design de Tintas Automotivas da BASF para a Ásia-Pacífico. Os compradores de veículos dos países da Ásia-Pacífico também exigem designs de maior qualidade e individualidade. “O cinza desempenha um papel considerável entre os veículos elétricos, oferecendo efeitos únicos - tais como cores semi-foscas e sedosas - que contribuem à imagem futurista das novas tecnologias conectadas, incluindo as viagens compartilhadas e os veículos autônomos. Os novos veículos elétricos aportam novos valores e designs de cores à indústria automobilística em seu conjunto”, explica Matsuhara. 

O BASF Color Report 2019 de Tintas Automotivas é uma análise de dados da divisão de Tintas da BASF relacionada à produção global de automóveis e à aplicação de tintas sobre veículos leves em 2019.

  Mais notícias