Publicidade
Anuncie

Lanxess eleva seu guidance para o ano fiscal de 2021

07/06/2021 - 10:06

A Lanxess está elevando seu guidance para o ano inteiro de 2021 após um bom primeiro trimestre: A empresa de produtos químicos especializados agora espera EBITDA pré-excepcional entre EUR 950 milhões e EUR 1 bilhão de euros. Anteriormente, a empresa havia registrado ganhos entre EUR 900 milhões e EUR1 bilhão.

Com EUR 242 milhões, os pré-excepcionais do EBITDA no primeiro trimestre chegaram ao nível do trimestre anterior (EUR 245 milhões de euros), que ainda não haviam sido significativamente afetados pela pandemia de coronavírus. Em todo o grupo, os volumes no primeiro trimestre de 2021 ficaram acima do nível do ano anterior. A crescente demanda do setor automotivo foi um dos principais impulsionadores, principalmente no segmento de Materiais de Engenharia. Isso foi compensado pelos efeitos das paralisações de produção relacionadas ao clima nos Estados Unidos nos segmentos de Intermediários Avançados, Aditivos Especiais e Proteção ao Consumidor. Além disso, os efeitos cambiais negativos, particularmente do dólar americano, e os custos de energia significativamente mais elevados, especialmente na Alemanha, tiveram um impacto negativo.

As vendas do grupo no primeiro trimestre, de EUR1,693 bilhão, estavam em bom nível, no comparativo com o ano anterior (EUR 1,704 bilhão). A receita do grupo proveniente de operações contínuas também permaneceu estável, em EUR 63 milhões de euros.

"O ímpeto positivo do quarto trimestre continuou e tivemos um bom começo para este novo ano. Estamos nos beneficiando de um aumento adicional da demanda, particularmente no setor automotivo. Operacionalmente, deixamos o impacto do coronavírus para trás e estamos muito confiantes sobre o resto do ano", disse Matthias Zachert, presidente do Conselho de Administração da Lanxess AG. "Agora estamos focando em crescimento e estamos fazendo tudo o que podemos para garantir que nossos novos negócios desenvolvam rapidamente todo o seu potencial", complementa.

Primeiro trimestre marcado pelo crescimento estratégico

No primeiro trimestre, a Lanxess também buscou crescimento estratégico. No segmento de Proteção ao Consumidor, a empresa de produtos químicos especializados concluiu duas aquisições. Com o especialista francês em biocidas INTACE, a empresa ampliou sua gama de fungicidas para papel e embalagem. Com a aquisição bem-sucedida do provedor de desinfecção e higiene Theseo, a Lanxess ampliou significativamente sua oferta para o mercado em crescimento de higiene animal.

Em meados de fevereiro de 2021, a empresa de produtos químicos especializados ainda anunciou a segunda maior aquisição de sua história corporativa. A aquisição do grupo norte-americano Emerald Kalama Chemical permitirá que a Lanxess abra novos campos de aplicação de alta margem, como na indústria alimentícia e na saúde animal. O Grupo espera que a transação seja concluída no segundo semestre do ano, após as aprovações regulatórias.

A empresa também está envolvida no futuro campo da química das baterias desde este ano, firmando um acordo de cooperação com a Tinci, uma das principais fabricantes globais de materiais de baterias de íons de lítio, no final de março. A partir de 2022, a Lanxess produzirá formulações de eletrólitos para baterias de íons de lítio em Leverkusen sob autorização da empresa chinesa.

Segmentos: Aumento da demanda em quase todos os setores de clientes

Desde 1º de janeiro de 2021, o negócio de antioxidantes e aceleradores de reação foi redesignado organizacionalmente da unidade de negócios de Avançados Industriais Intermediários para o segmento de Aditivos Especiais (Rhein Chemie). Os números do ano anterior foram reafirmados, e o negócio de aditivos de corantes foi transferido dentro do segmento de Aditivos Especiais da Rhein Chemie para a unidade de negócios de Polymer Additives.

No segmento Intermediários Industriais Avançados, as vendas aumentaram 1,2%, passando de EUR 483 milhões para EUR 489 milhões. A demanda positiva levou a vendas em volumes mais altos, compensando os preços de venda mais baixos e efeitos adversos da taxa de câmbio. O EBITDA pré-excepcional para o segmento chegou a EUR 77 milhões, 6,1% abaixo do valor do ano anterior de EUR 82 milhões de euros. Volumes mais altos não poderiam compensar o efeito negativo nos preços e na taxa de câmbio, além de um paralisação da produção nos Estados Unidos devido a questões climáticas. A margem EBITDA pré-excepcional caiu de 17,0% para 15,7%.

No segmento de Aditivos Especiais, as vendas e os ganhos não corresponderam ao bom nível do ano anterior. A paralisação da produção relacionada ao clima nos Estados Unidos, que durou várias semanas, e a fraca demanda da indústria da aviação levou a volumes de vendas mais baixos. Os efeitos adversos da taxa de câmbio também tiveram um impacto negativo. Em EUR 517 milhões, as vendas ficaram 9,9% abaixo do valor do ano anterior de EUR 574 milhões de euros. O EBITDA pré-excepcional caiu 18,7%, passando de EUR 91 milhões para EUR 74 milhões. A margem EBITDA pré-excepcional foi de 14,3%, contra 15,9% no ano anterior.

Os negócios do segmento de Proteção ao Consumidor continuaram a se desenvolver bem no primeiro trimestre de 2021. Esse desenvolvimento foi impulsionado pelo forte negócio de agroquímicos da Saltigo e pela boa demanda por desinfetantes em Produtos de Proteção de Materiais, mitigados por efeitos cambiais adversos. Em EUR 290 milhões, as vendas estavam 3,9% acima do valor do ano anterior, de EUR 279 milhões, apesar dos preços de venda mais baixos. Os pré-excepcionais do EBITDA subiram 3,0%, passando de EUR67 millhões, para EUR 69 milhões, apesar de uma paralisação da produção relacionada ao clima nos Estados Unidos. A margem EBITDA pré-excepcional atingiu 23,8%, contra 24,0% no ano anterior.

O segmento de Materiais de Engenharia se beneficiou da demanda cada vez maior da indústria automotiva. As vendas no primeiro trimestre de 2021 aumentaram 8,6%, passando de EUR 347 milhões para EUR 377 milhões devido a venda de volumes maiores. O EBITDA pré-excepcional subiu 20,4% em termos de EUR 49 milhões para EUR 59 milhões, apesar dos custos mais elevados de frete e energia. A margem EBITDA subiu de 14,1% para 15,6%.

  Mais notícias