Recife recebe seminário sobre qualidade das tintas imobiliárias

03/09/2019 - 17:09

Iniciativa tem o objetivo de sensibilizar a indústria e o varejo sobre a produção e revenda de produtos com qualidade reconhecida

No próximo dia 04 de setembro, acontece em Recife (PE) o Seminário Tinta de Qualidade Reconhecida. Realizado pela Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), com o apoio da ACOMAC-PE (Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Pernambuco), o evento é gratuito e tem como objetivo conscientizar a indústria e os lojistas do setor sobre a produção e revenda de tintas em conformidade com as normas técnicas da ABNT - em relação a aspectos como rendimento, poder de cobertura, secagem e resistência à limpeza -, que possibilitam que produtos com qualidade reconhecida possam chegar a todos os consumidores brasileiros. De acordo com Fabio Humberg, diretor de comunicação e relações institucionais da Abrafati, Pernambuco é um dos principais estados produtores de tintas, com a presença de importantes fabricantes. "De modo geral, o Nordeste do Brasil responde por quase 20% do total das vendas de tintas imobiliárias do país. Isso significa que a região é responsável por mais de 230 milhões de litros vendidos no ano", explica.

Na programação, Jairo Cukierman, engenheiro e sócio-diretor da Tesis engenharia e gestão de programas de qualidade, e o advogado Rafael Baitz, especialista em direito do consumidor, apresentarão Programa Setorial da Qualidade (PSQ) de Tintas Imobiliárias - iniciativa que integra o Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), do Governo Federal -, que visa melhorar a qualidade e modernizar os produtos do setor da construção civil. Em seguida, fabricantes com unidades em Pernambuco participarão de um bate-papo para reforçar a importância da adequação de produtos às normas e o investimento em inovação e melhorias.

Atualmente, cerca de 90% do volume de tintas imobiliárias vendidas no país - que em 2018 chegou a 1,28 bilhão de litros - está dentro dos padrões de qualidade. Este número representa uma grande evolução em relação ao panorama vivido pelo setor em 2002, época em que o programa foi criado, quando a não conformidade girava em torno de 50% dos produtos fabricados. "Termos a presença de representantes regionais no seminário nos ajudará a reforçar que este é um tema fundamental para fabricantes, varejo e consumidores de todo o Brasil, além de impulsionar o mercado a evoluir e seguir em frente, para avançarmos em direção à meta de 100% de conformidade técnica na produção de tintas", completa Fabio.

  Mais notícias

Coral Sayerlack Anuncie aqui